Menu fechado

Você já sabe o que realizar para a transferência veicular?

Quando um veículo passa a ser propriedade de outra pessoa, é responsabilidade do novo dono realizar a transferencia de veiculo.

Isto é, o registro do carro deve ser alterado tanto no Banco de Dados do Detran quanto na RENAVAM (Registro Nacional de Veículos Automotores).

O mesmo deve acontecer quando o proprietário muda de estado. No entanto, esse processo não é tão simples e muitas pessoas ficam cheias de dúvidas, a respeito do que fazer.

O que é preciso para obter o laudo?

O laudo de transferência veicular contém os resultados das análises feitas no veículo, registros fotográficos e seus dados.

Sendo muito mais completo e confiável, esse laudo substitui o uso apenas do decalque do chassi e motor (quando se usa papel e lápis, para ver os números dessas peças).

Quando a venda é realizada, o novo proprietário tem até 30 dias, para solicitar a transferência, do contrário receberá multa.

O primeiro passo é realizar a vistoria veicular. Muitas são as empresas credenciadas de vistoria (ECV) que oferecem esse serviço, basta ter em posse um documento com foto e CPF e o objetivo é verificar:

  • Autenticidade de identificação;
  • Autenticidade da documentação;
  • Legitimidade da propriedade;
  • Equipamentos obrigatórios e sua funcionalidade;
  • Preservação das características originais;
  • Regularidade de qualquer alteração.

Depois disso, é necessário verificar se o automóvel não está em débito com IPVA, DPVAT e multas, que devem ser quitadas antes de realizar a transferência.

Depois disso, é necessário que se possua outros documentos além do laudo: CPF, RG ou CNH, CRV com a assinatura do antigo dono. E com confirmação de firma, comprovante de residência e comprovante do pagamento de taxas.

Quanto ao antigo dono, cabe fazer um Comunicado de Venda, realizado pelo Detran, para registrar que ele não é mais o proprietário daquele veículo

Assim, mesmo que o novo dono não realize o procedimento necessário, para a mudança de veículos, que é responsabilidade dele, o antigo dono não responderá sobre o automóvel.

Alguns procedimentos recomendados

Quando tudo estiver dentro dos conformes da lei, é necessário pensar em medidas que não são obrigatórias, mas que são muito recomendáveis, para quem acaba de adquirir um carro usado.

A higienização automotiva é um tipo de limpeza profunda realizada em veículos, capaz de tirar todos os fungos, bactérias e possíveis odores.

A primeira etapa, consiste em aplicar um produto fungicida nos bancos, porta-malas, carpetes e revestimento, depois sendo utilizado um extrator (aspirador que funciona a altas temperaturas) para tirar o produto que foi aplicado.

Esse procedimento é muito detalhado e não deixa nenhuma parte do carro de fora, incluindo os painéis. Para quem não busca uma limpeza tão profunda.

Ou não está disposto a fazer esse investimento, existem outras opções menos eficientes. Por exemplo, caso o carro apresente algum tipo de mal cheiro, é possível cuidar especificamente disso com a purificação de ar, feita com ozônio.

O processo é muito mais parado que uma higienização completa e elimina esse problema. Também é possível realizar a lavagem a vapor.

Responsável por limpar tanto a lataria, quanto o interior do carro, que pode ser mais ou menos detalhada.

Embora menos profunda, também é recomendada para casos de transferência veicular. Depois que o interior do carro estiver devidamente limpo e sem nenhum odor, cuide da lataria.

O polimento automotivo é capaz de retirar todas as imperfeições mais superficiais da carroceria, como manchas, pequenos riscos, queimados de sol e muito mais, deixando a lataria com brilho e em perfeito estado.

O processo é realizado se valendo de produtos abrasivos e politrizes, e acaba por remover parte da camada de verniz.

Por isso, deve ser feito com um profissional especializado na área, que cuidará para que os danos no verniz sejam mínimos.

É recomendável que após o polimento seja feita a cristalização da lataria. Isto é, deve-se aplicar uma camada de resina sobre toda a sua superfície.

Além de garantir mais brilho ao veículo, essa medida tem a função principal de proteger a tinta e o verniz do carro, tornando ambos muito mais duráveis e resistentes.

Assim, o polimento realizado será preservado por muito mais tempo e o carro terá aparência de novo. Ao final de todo esse processo, você terá um carro que foi analisado pela vistoria.

E então, funciona perfeitamente bem, que possui o interior limpo e livre de qualquer bactéria ou fungo e o exterior impecável, digno de um carro zero.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *