Menu fechado

Você já sabe todos os tipos de direção?

Atualmente os tipos de direção, a direção hidraulica é a mais usada em veículos, mas isso não significa que ela seja o melhor tipo de direção disponível no mercado.

Nesse artigo, você vai entender mais sobre a direção hidráulica, sobre a direção elétrica e a intermediária, chamada de eletrohidráulica.

Com funcionamentos distintos, elas apresentam vantagens e desvantagens que precisam ser consideradas nos momentos de escolha.

História dos sistemas de direção

Primeiro, no lugar em que há a direção, havia alavancas ou barras. Para que o carro fosse para a direita, você puxava a alavanca para a esquerda. Para que fosse para a esquerda, puxava para a direita.

Sempre com um esforço físico significante. Esse sistema inverso confundia muito as pessoas, pois o impulso automático do corpo é se movimentar em direção ao lado pelo qual deseja seguir.

Para o alívio da população da época, esse modo de direção não durou por muito tempo, pois os volantes foram criados em 1890. A experiência em carros ainda era pouco confortável, porém, melhor do que o funcionamento inverso.

Os primeiros sistemas utilizados eram os de direção mecanica, muito difíceis de se encontrar nos dias atuais, que surgiram junto aos volantes. Com eles, ainda havia necessidade de esforço físico, mas a direção era mais intuitiva.

Hidráulica ou elétrica?

A criação do sistema hidráulico de direção foi uma grande melhoria na vida dos motoristas. Com esse sistema, o carro obedecia melhor aos comandos, a direção era mais suave e o esforço era mínimo.

Tudo isso foi possível porque a força para as manobras não vinha exclusivamente do motorista, mas de um mecanismo de óleo pressurizado.

Esse tipo de carro possui uma bomba hidráulica, um reservatório de óleo e algumas mangueiras (de baixa e de alta pressão). A bomba é alimentada por uma correia ligada ao motor do carro, resultando no movimento do óleo, que corre pelas mangueiras na caixa de direção.

Quando se gira o volante, aciona-se uma válvula que permite que o óleo sob pressão atue, aplicando força no pistão. O resultado é que a força empregada pelo motorista, em comparação com a direção mecânica, abaixa em 80%.

Alguns carros possuem um sistema de direção chamado de eletrohidráulico. Nesse caso, há um motor próprio para o acionamento da bomba e esse motor é elétrico. A principal vantagem é que, assim, não há necessidade de potência do motor do carro, economizando combustível.

A instalação de direção hidraulica é simples, mas a sua manutenção é mais complexa. É preciso sempre prestar atenção no nível de óleo, fazer a troca de óleo regularmente e estar atento quanto aos vazamentos. O ponto positivo é que você mesmo pode verificar o nível de óleo, confira o passo a passo:

  • Deixe o carro em superfície nivelada;
  • Espere o motor esfriar;
  • Puxe a vareta de medição (anel amarelo, vermelho ou laranja);
  • Molhe um papel toalha na ponta;
  • Identifique as marcações máxima e mínima;
  • Coloque a vareta no tubo e verifique o nível.

Ao molhar um papel toalha na ponta da vareta de medição, a intenção é verificar a cor e a espessura do óleo. Ele deve estar com a cor escura e com a espessura grossa.

É preciso tomar cuidado para não fazer a medição com o motor quente, pois nessa situação ele fica fino. A marca do mínimo é a que fica mais perto da ponta da vareta.

Se, ao molhar a vareta no tubo, o óleo só sujar até essa marca ou abaixo dela, há necessidade de completar. Se ultrapassar a outra marca, em algum momento foi completado quando não deveria e há excesso. Nesse caso, faz-se uma drenagem.

direção eletrica é a mais moderna, criada muito depois da hidráulica. Nesse sistema, há um motor elétrico na barra de direção e sensores que captam os movimentos no volante.

Os sensores enviam sinais elétricos, interferindo na direção para evitar acidentes. A direção fica um pouco mais rígida conforme a velocidade aumenta. Se houver uma pane elétrica, o carro funciona como se tivesse direção mecânica, e ainda é possível andar.

Em conclusão, a direção elétrica é muito mais simples, pois gera economia de combustível, além de ser uma direção mais confortável, com facilidade de manobra.

A principal vantagem é que a manutenção complicada do sistema hidráulico é dispensada. Entretanto, os carros com direção elétrica são mais caros. Resta colocar em uma balança se todas essas vantagens compensam o valor.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *