Menu fechado

Saiba mais sobre peças de veículos rurais

Conhecer a composição e o funcionamento das peças de veículos é fundamental para realização de sua correta manutenção e a garantia de uma vida útil prolongada a essas peças.

A seguir, falaremos um pouco mais sobre algumas peças de veículos rurais: orbitrol, diferencial dana e cabeçote.

O que é o diferencial Dana?

O Diferencial dana é um artefato mecânico cuja função é permitir que os Veículos de tração façam curvas, através da transferência e distribuição homogênea de torque – ou seja, a força que o motor transfere à manivela para fazer o carro andar – a dois semieixos que, sem esse mecanismo, girariam em sentidos opostos.

As rodas fundadas em um mesmo eixo realizam velocidades diferentes entre elas quando submetidas a uma curva, pois quando efetuam uma trajetória em formato de arco, essa trajetória é determinada pelo comprimento do seu raio.

Como a roda externa possui uma distância maior do eixo que a distância da roda menor, o raio do arco será maior, aumentando o tamanho do seu comprimento. Sendo assim, a velocidade das rotações será diferente para cada uma dessas rodas.

Como há uma diferença entre o comprimento desses arcos, um dispositivo que possibilite velocidades diferentes entre as rodas é necessário.

Isso porque, para que a roda possa percorrer um arco mais longo no mesmo tempo de um arco menor, ela precisa de uma velocidade maior se comparada àquela.

Graças a essa diferença no tempo da rotação, se não houver a equiparação das velocidades, a roda externa seria conduzida através do eixo.

Portanto, a fim de igualar o tempo percorrido dos arcos das rodas, é indispensável a existência de um mecanismo que possibilite uma velocidade diferente entre essas rodas. É para isso que serve o Diferencial dana.

Com essa peça, é possível que as rodas permaneçam recebendo torque do motor, porém girando independentemente entre elas.

Você conhece o orbitrol?

Orbitrol é uma palavra popularmente utilizada para denominar uma direção hidrostática.

Esta é ideal para utilização por veículos pesados, normalmente da construção civil ou máquinas utilizadas para fins agrícolas, como Tratores, carregadeiras e empilhadeiras – normalmente aqueles utilizados fora das estradas de rodagem.

O orbitrol atua facilitando a direção dessas máquinas e tornando as operações relacionadas a ela mais seguras para os trabalhadores.

Direção hidrostática é, portanto, um nome utilizado para definir um tipo de direção hidráulica, normalmente empregado em veículos cuja velocidade é pequena.

Seu principal aspecto é empregar altos esforços nos cilindros hidráulicos que compõem a direção do veículo, fazendo isso sem que o operador necessite demandar grandes esforços.

O emprego do Orbitrol nesses equipamentos possui uma série de vantagens como a diminuição do esforço durante a operação, pois a direção desses veículos pode ser realizada com menos força por parte do operador da máquina.

Além disso, o orbitrol oferece o benefício de garantir movimentos mais precisos, o que viabiliza a variação na direção e no fluxo realizado nas máquinas.

Também, esse sistema de direção hidrostática é muito funcional e necessita de pouca manutenção periódica, tornando-o um equipamento de alto custo-benefício para as empresas que o utilizam.

Embora sua manutenção exija que seja feita com pouca regularidade, a complexidade tecnológica desse sistema de direção hidrostática exige que o profissional responsável possua treinamento e habilidades específicas para tanto.

As ferramentas utilizadas nesse procedimento também são específicas, e a correta escolha garante uma maior precisão na realização deste trabalho.

O que é cabeçote do motor e quando proceder sua retificação?

O cabeçote é um dos componentes do motor de um veículo, mais especificamente, a cabeça dessa peça, sendo responsável pela condução da entrada e da saída tanto de ar quanto de combustível dos cilindros que fazem parte desse motor.

Conectando o cabeçote a esse bloco do motor, encontramos a Junta de cabeçote que garante que as câmaras de combustão permaneçam vedadas.

Com o tempo de uso, os esforços e as altas temperaturas a que o motor está submetido, naturalmente, para seu funcionamento, as suas peças acabam sofrendo um processo de desgaste.

Normalmente, quando a quilometragem supera os duzentos mil quilômetros, torna-se necessário submeter o motor a um procedimento chamado retifica, um processo de manutenção do motor realizado para corrigir esses desgastes e pequenos danos.

Esse procedimento pode ser completo ou parcial (como no caso da retifica de cabeçote), dependendo da necessidade do motor.

Alguns sintomas que apontam a necessidade de realização da retífica são:

  • Excesso de fumaça saindo do escapamento dos veículos;
  • Alto consumo de lubrificante e de combustível;
  • Barulhos altos e superaquecimento vindos do motor;
  • Baixa repentina na potência do motor.

A retífica de cabeçote, portanto, é fundamental para manter o bom funcionamento do motor dos veículos e deve ser feita periodicamente assim que esses pontos forem observados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *