Menu fechado

Saiba mais sobre a adição de categorias na CNH

categorias

Trabalhar como motorista pode ser um escape para as pessoas que estão desempregadas e que possuem um carro parado na garagem ou que então percebem que o setor de entrega de mercadorias com caminhões e pequenos caminhões sempre está em alta.

No entanto, para que a direção desses carros seja possível é necessário fazer a adição de categoria E ou D, ou para quem deseja trabalhar com entrega de delivery e até moto táxi é possível fazer a adição de categoria A a sua Carteira Nacional de Habilitação.

Além da adição de categorias em alguns tipos de condução é preciso fazer alguns cursos de especialização, que podem ser feitos de graça de acordo com alguns programas sociais. Assim, quem busca se diferenciar no mercado pode ser uma boa.

Neste artigo falaremos sobre os processos de adição de categorias que são realizados pelos CFC habilitação (Centro de Formação de Condutores).

Os CFC além de ser o local habilitado e credenciado para as primeiras habilitações nas categorias A e B, ajudam nos processos de adição de categorias ao documento.

Processos de adição de categorias

A adição de categorias na Carteira Nacional de Habilitação é uma opção muito interessante para quem procura uma nova carreira ou alavancar o currículo, principalmente, para quem procura dirigir grandes veículos.

Os processos de adição de categorias lembram bastante os de primeira habilitação, porém, existem alguns pré-requisitos para cada um dos tipos de categorias.

Abaixo falaremos sobre as adições de categoria D e E que são realizados na auto escola para categoria D.

Quando falamos de adição de categorias D, estamos nos referindo a condução de veículos com o objetivo de transportar pessoas, como nos ônibus e nas kombis.

Essa categoria é muito importante, pois muitas empresas exigem a categoria D inclusive para veículos menores, quase não solicitando a categoria C.

Para que a categoria D seja adicionada é preciso atender alguns requisitos. É preciso:

  • Ter no mínimo 21 anos;
  • CNH com categoria B ou C por no mínimo 2 anos;
  • Fazer a avaliação psicológica;
  • Realizar as aulas práticas que totalizam 20h;
  • Realizar a prova prática.

Durante o processo é necessário indicar se a adição servira para transporte de bens ou pessoas de forma remunerada.

Para que o trabalho com transporte de passageiros seja possível, além da adição de categorias é preciso realizar o curso transporte de passageiros.

A categoria E é uma categoria para suprir as necessidades de condução para veículos de grandes pesos, e com reboques que excedam 6000 kg. Para que o seu currículo fique mais bonito e arrojado é possível fazer o curso de Cargas Indivisíveis em algumas instituições.

Para solicitar a adição de categoria E é necessário ter mais de 21 anos, estar habilitado a pelo menos um ano nas categorias C ou D e não ter cometidos infrações nos últimos 12 meses até a data do início do processo de adição.

Os cursos para quem quer trabalhar com transportes

Além da adição de categorias existem alguns cursos que podem ser realizados para que o seu currículo seja turbinado e até mesmo seja uma carreira profissional.

Um exemplo é o curso de instrutor de auto escola que podem ser encontrados em algumas instituições de ensino, assim como no Centro de Formação de Condutores, credenciados pelo DETRAN – Departamento Estadual de Trânsito.

O curso para instrutor de CFC é destinados as pessoas que querem atuar na formação, atualização e qualificação de condutores. Também podem atuam em cursos de reciclagem de condutores.

Para que o curso possa ser feito é preciso que a pessoa tenha mais de 21 anos, Ensino Médio Completo, habilitado há dois anos em qualquer categoria, e fazer avaliação psicológica para fins didáticos.

O curso tem 180 horas e são compostas de matérias como técnicas de ensino, legislação de trânsito, funcionamento de veículos entre outras.

O curso de Transporte Coletivo de Passageiros é para quem deseja atuar em ônibus. Possuem uma carga horária de 50 horas/aula, e abordam temas como direção defensiva, legislação de trânsito. As atualizações são feitas a cada 5 anos com duração de 16 horas/aula.

Portanto, para quem quer se especializar é possível apostar na adição de categoria A, B, C, D e E e também em cursos que potencializam o seu currículo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *