Menu fechado

A importância da manutenção de peças e componentes de veículos

Pouca gente sabe, mas grande parte dos problemas dos veículos é ocasionada por falhas em componentes, devido à falta de manutenção preventiva adequada.

De acordo com uma pesquisa realizada pelo Instituto Scaringella Trânsito, a negligência com as revisões veiculares está relacionada a cerca de 30% dos acidentes urbanos e rodoviários no Brasil.

O estudo também demonstrou que 80% dos veículos em circulação no país tem algum tipo de problema como pneu careca, lanterna queimada, falta de seta, motores desregulados entre outros.

Esses fatores só agravam os riscos de acidente, principalmente no caso de pistas e rodovias molhadas.

Os pneus merecem atenção especial, pois quando carecas, eles reduzem a capacidade de travagem, de deslocamento em curvas e, ainda, elevam as chances de aquaplanagem.

Os pneus carecas não contam com sulcos ou gomos e, por isso, o carro desliza com maior facilidade. Por isso, a importância de estar sempre em dia com a manutenção e verificar periodicamente o funcionamento das peças.

Principais procedimentos de manutenção preventiva veicular

A manutenção veicular envolve a revisão, análise e avaliação de todas as condições das peças de um veículo, com especial atenção à alguns componentes, como é o caso do anel de vedação oring.

Também chamado de junta tórica, o elemento é fabricado por um conjunto de elastômeros, sendo projetado para atuar em atividades de vedação, em sistemas pneumáticos e hidráulicos de carros.

O anel de vedação deve suportar grandes variações de temperatura e, ainda, ser resistente à corrosão e oxidação.

Desse modo, é possível minimizar o desgaste da peça. No entanto, é recomendável avaliar as condições do componente periodicamente, uma vez que problemas no anel de vedação podem comprometer os sistemas hidráulicos dos carros e, assim, ocasionar vazões.

Outro componente de vedação é a gaxeta de borracha, que também tem a função de proteger sistemas pneumáticos e hidráulicos, especialmente, os cilindros.

As gaxetas também são altamente resistentes, capazes de suportar movimentos alternativos. Elas são fabricadas em silicone, geralmente, mas também existem as gaxetas nitrílicas e de poliuretano.

Além disso, existem vários modelos do componente, dependendo do tipo de aplicação.

Em casos especiais, é possível optar pelo emborrachamento de cilindros, com aplicação de revestimento para ampliar a proteção dos sistemas hidráulicos e pneumáticos.

Desse modo, é possível evitar problemas recorrentes de vazamento e, ainda, aumentar a vida útil dos cilindros.

Para esse processo, recomenda-se o uso da borracha, pois o material é forte contra os efeitos de abrasão, deformação e alongamento, além de suportar variações de temperatura e corrosão.

Entre outras peças que merecem revisão periódica, destacam-se:

  • Os pneus;
  • As pastilhas de freio;
  • O câmbio;
  • A direção;
  • Os vidros;
  • As travas elétricas;
  • O cinto de segurança.

A manutenção preventiva de veículos não somente reduz os riscos de acidentes, mas oferece muitos outros benefícios, incluindo a economia.

Quando uma peça está quebrada ou funcionando de maneira inadequada, o veículo pode gastar mais combustível, acarretando prejuízo para o proprietário.

Por isso, a identificação do problema o quanto antes, diminui custos desnecessários.

Outro ponto muito vantajoso da manutenção veicular diz respeito à eficiência do automóvel, pois com peças em perfeita funcionalidade eles atuam no melhor desempenho do veículo.

Em consequência, o consumo do combustível será menor e as regulagens atuarão em sintonia.

Normalmente, a partir dos 10 mil quilômetros o veículo já apresenta sinais que necessita de revisão. O motorista pode perceber se a direção está vibrando, ou o volante está “puxando” para um lado.

Esses são pequenos indícios que a manutenção preventiva deve ser feita, antes de qualquer problema.

Películas de vidro também necessitam de atenção

Outro elemento que também precisa de manutenção é a pelicula de vidro, o popular “insulfilm”.

Basicamente, o elemento é responsável por controlar a entrada de luz solar dentro dos carros e manter uma temperatura adequada dentro dos veículos. Por isso, as películas ganharam a atenção dos brasileiros, que investem bastante na proteção dos vidros.

É importante ressaltar que existem algumas especificações quanto ao uso de películas: os vidros dos carros não podem ter transparência inferior a 75% no para-brisa, 70% nos laterais dianteiros, e 28% nos laterais traseiros e traseiros.

Sendo assim, é necessário verificar essas regras, antes de aplicar a proteção.

No entanto, pode ocorrer o desgaste e o desprendimento das películas e, nessas ocasiões, é preciso consertar ou até mesmo substituir o insulfilm.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *