Menu fechado

5 dicas para gerir uma transportadora

Empresas de transporte são muito necessárias em todas os setores da economia. A malha rodoviária brasileira, por ser muito extensa, possui estradas que ligam os estados de norte a sul, de leste a oeste.

E possibilita que grande parte dos alimentos, roupas, bebidas, combustíveis, entre outros produtos vitais para o nosso dia a dia, sejam entregues nos postos de combustíveis, supermercados, etc.

Por que investir no setor de transportes?

Hoje, 60% da movimentação de produtos até a chegada ao local de destino, é feita por meio do modal rodoviário.

Ou seja, a empresas de logística são muito necessárias no dia a dia de empresas, famílias e negócios. Diariamente, caminhões e carretas de empresas de logística, cruzam o solo nacional.

E, algumas vezes, até as fronteiras com países da América do Sul. Essas companhias precisam trabalhar com muito planejamento. Para garantir que os produtos cheguem em seu destino no prazo certo e em segurança.

Para isso, existem algumas dicas essenciais, que podem auxiliar a gerir empresas de serviços de transporte de mercadorias. O trabalho de gestão de uma transportadora precisa ser cauteloso, muito bem pensado e estruturado.

Capacitação dos motoristas

O primeiro ponto que parece ser óbvio, mas que é extremamente necessário é investir em treinamento e na capacitação dos motoristas contratados pela empresa.

Hoje, as cabines dos caminhões contemplam tecnologias muito avançadas, para que o motorista consiga aproveitar o máximo de sua capacidade e conforto.

Por isso, é necessário que o profissional saiba utilizar todas as opções de controle do veículo. Também é importante avaliar a experiência do condutor.

Afinal, a vida na estrada apresenta uma série de desafios e é muito melhor, que o motorista da sua empresa esteja preparado para agir em situações extremas da melhor forma possível.

A telemetria

Um dos principais serviços que podem ser contratados por empresas de logística é a Telemetria. Ela é indicada, para monitorar o estilo de direção dos motoristas, mesmo após o treinamento realizado.

Essa ferramenta é capaz de identificar o padrão de direção, média de consumo de combustível e localização do motorista durante a viagem.

Além disso, em casos de emergência, a Telemetria também possibilita que a transportadora saiba se o motorista pode estar passando por uma situação de emergência e comece a agir.

Planejamento

Antes de iniciar uma viagem, é preciso planejar a rota do caminhão. Apesar das rodovias serem responsáveis por mais da metade do transporte de cargas no Brasil, as estradas ainda sofrem com a falta de investimentos e revitalizações.

Muitas vezes, sem ao menos serem asfaltadas. Por exemplo, as estradas de terra, que em muitos casos, são opção de caminho em algumas regiões brasileiras.

Estas podem ser evitadas por transportadora de cargas pesadas, especialmente no período de chuvas, onde o risco é maior.

Reparos e manutenções dos veículos

Nunca deixe de realizar a manutenção da frota da sua empresa. Isso, além de contribuir para o bom funcionamento dos veículos, é essencial para a segurança do condutor.

E também garante que os produtos transportados cheguem ao seu destino em segurança e com a qualidade de fabricação.

Tenha conhecimento dos gastos

Coloque tudo na ponta do lápis. Saiba quais são os maiores custos para manter uma frota em pleno funcionamento e siga parâmetros de gestão, tendo em mente:

  • O custo da viagem;
  • Custo com abastecimento;
  • Custos com o motorista;
  • Gastos com a manutenção;
  • Custo com a limpeza do caminhão;

Custo com o próprio veículo – para iniciar sua frota, procure por valores dos veículos, como caminhão scania preço

A importância de uma boa gestão

O sistema de transporte deve ser eficiente, para que também valha a pena para o consumidor. Lembre-se uma boa gestão da transportadora reflete no custo repassado a quem contrata o serviço.

Um dos pontos que devem ser levados em conta, na hora de gerir uma empresa de transportes, além dos que já destacamos acima, é calcular o percentual.

Este sobre toda a cadeia logística será cobrada de quem está contratando o serviço, de forma clara e detalhada.

Assim, é importante que, na hora de precificar a relação entre cargas e fretes, o resultado final seja competitivo com o já praticado no mercado. Afinal, a cultura brasileira ainda preza muito pelo preço.

O lado positivo de trabalhar a gestão do negócio da forma correta é que, para praticar valores atrativos para o mercado, não é preciso abrir mão da segurança do transporte, nem da capacitação dos motoristas.

Ou seja, sabendo lidar com o negócio, a empresa não registrará prejuízos, nem se precisar abaixar o preço de seus serviços.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *